jusbrasil.com.br
13 de Dezembro de 2018

Primeira Sustentação Oral - Quem me salva?

A primeira ninguém esquece!

Beatriz Galindo, Professor
Publicado por Beatriz Galindo
há 7 meses

www.advoguenapratica.com.br

Semana passada, julgando a Competição Nacional de Processo, fiquei pensando na importância de já sair da faculdade preparado para uma sustentação oral.

Não sei vocês, mas a minha primeira foi um absoluto desastre.

Saindo do escritório, minha chefe me deu duas recomendações: Não leia e peça preferência!

NÃO LEIA? Ela só me avisa isso agora? Todo meu planejamento foi por água abaixo, pois havia preparado um texto lindo, que obviamente não foi dito - deu branco na hora.

"Peça preferência". Essa parte eu simplesmente não entendi, mas perguntar seria expor minha inexperiência. Resolvi improvisar.

Entrei na sala de julgamento, pedi para conferir a pauta... meu processo constava. Era o 5º da lista. Ufa! Sairia a tempo de almoçar (começava às 10h da manhã).

Tempo passa e nada do meu processo. Fui reclamar com a moça do computador (não fazia ideia do cargo dela, na época). Levei um fora daqueles, sem nem saber a razão.

2h da tarde, finalmente, chamaram meu processo. Eu estava representando o recorrido, então (me sentindo a carioca malandra) pedi preferência na sustentação. Afinal, o código diz que o recorrente inicia, mas minha chefe achava que era melhor pedir preferência. Foi concedida.

Voltei ao escritório às 15h, morrendo de fome, e com minha chefe querendo me matar.

- Você não pediu preferência?

- Pedi, mas nem fez diferença, pois o recorrente não estava presente.

Gargalhada máxima da chefe. Cara de tacho minha. E um aprendizado: a preferência é para que seu processo seja julgado antes dos demais, não para a ordem de sustentação.

Saldo do dia: 5h horas em uma sala de julgamento + a moça do computador me achando uma idiota + 5 desembargadores me achando louca + 1 chefe descobrindo minha inexperiência


Por essas e outras que criamos o Advogue na Prática. Para que você aprenda o processo civil da maneira que utilizará na advocacia real e nos mínimos detalhes. Bora tirar as dúvidas?

Conheça meu curso: www.advoguenapratica.com.br

Vagas abertas para a turma online!

3 Comentários

Faça um comentário construtivo para esse documento.

Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

Que divertido esse relato.

Já vi muitas gafes como essa, eu antes de fazer qualquer ato que não conheço (como foi o caso das sustentações) chegava bem cedo e ia observando e perguntando para não dar essas ratadas. Mas faz parte do aprendizado.

Obrigado por compartilhar, Dra. @beatrizgalindo ! continuar lendo

Adorei a conclusão do seu texto Dra. Beatriz, mas é assim mesmo, errando é que se acerta, abraços!! continuar lendo

Muito valioso o ensinamento contido no texto. Bacana o relato pessoal...
Parabéns! continuar lendo